Ir para: Menu principal, Conteúdo


tags
Tags
ERC acolhe reunião internacional sobre questões do Género e Media
2018/02/23

A ERC é anfitriã, no dia 23 de fevereiro, da reunião do «Grupo de Trabalho Género e Media» da Rede de Reguladores do Audiovisual do Mediterrâneo. Esta reunião visa a implementação do Estudo sobre Violência de Género na Informação Televisiva do Mediterrâneo, a ser levado a cabo em 2018, junto dos 26 membros da Rede, coordenado pelo Conselho Audiovisual da Catalunha e pela ERC. Para além da ERC, integram este Grupo de Trabalho as entidades reguladoras do audiovisual de Espanha, de Marrocos, de França, da Croácia, e Grécia.

O «Grupo de Trabalho Género e Media» foi criado em Lisboa, em 2012, por ocasião da 14ª reunião plenária da Rede, de que a ERC foi anfitriã. Por unanimidade, os reguladores do audiovisual adotaram uma declaração conjunta para o combate aos estereótipos de género nos media.

Este Grupo de Trabalho tem como objetivos a adoção de ferramentas de avaliação do respeito pela igualdade de género nos meios audiovisuais – tanto na informação como no entretenimento -; a promoção de estudos sobre descriminação em função do género nos media; a promoção da corregulação com os meios de comunicação social visando maior eficácia no combate aos estereótipos de género e discriminação da mulher nos conteúdos audiovisuais nos países do Mediterrâneo.

Segundo dados da OMS e da Agência Europeia para os Direitos Fundamentais, cerca de um terço das mulheres que tiveram uma relação, afirmam ter passado por alguma forma de violência física e/ou sexual por parte do seu parceiro. Em termos globais, 38 % dos homicídios de mulheres são perpetrados por um parceiro do sexo masculino. Na Europa, 33 % de mulheres com mais de 15 anos passaram igualmente por um experiência de violência física ou psicológica.

As consequências da violência contra as mulheres vão para além dos danos e lesões diretas sobre as próprias vítimas, afetando diretamente os seus filhos menores e a sociedade no seu todo. A comunicação social, sendo responsável pela maioria da informação veiculada sobre violência de género, tem uma importante responsabilidade social na prevenção e combate a este tipo de violência.