Ir para: Menu principal, Conteúdo


tags
Tags
ERC produz Relatório sobre cobertura radiofónica das eleições europeias de 2019
2019/08/30

Regulador analisa noticiários da Antena 1, TSF, Rádio Renascença e Rádio Comercial

A ERC – Entidade Reguladora para a Comunicação Social publicou um Relatório sobre a cobertura mediática feita pelas estações de rádio Antena 1, TSF, Rádio Renascença e Rádio Comercial às eleições para o Parlamento Europeu em 2019.

A análise incidiu nos blocos informativos da manhã e do final da tarde, emitidos em período de campanha eleitoral (13 a 24 de maio de 2019), nestas que são as estações mais vocacionadas para a informação em cada um dos maiores grupos de media do mercado radiofónico nacional.

A ERC definiu como objetivo identificar as presenças dos partidos políticos candidatos ao ato eleitoral, bem como dos seus representantes (candidatos e outros). A partir da identificação das presenças destas formações pretendeu caracterizar a atenção informativa atribuída a cada candidatura, identificando eventuais situações de desequilíbrio no acesso dos candidatos/candidaturas ao espaço mediático. À semelhança do que a ERC já fizera no Relatório anteriormente divulgado, referente à cobertura jornalística feita pelas televisões.  

Além do registo das presenças das candidaturas, a ERC considerou também o enfoque temático evidenciado e o destaque dado à sua cobertura pelos órgãos de comunicação social, nomeadamente observando o tempo que lhe era dedicado nos noticiários.

Este trabalho foi conduzido pelo Departamento de Análise de Media da ERC e contou com a colaboração dos órgãos de comunicação social, que contactados para o efeito, disponibilizaram listagens dos programas autónomos de informação com presença de candidaturas, difundidos durante o período analisado.

Em baixo, enumeram-se os principais dados que a ERC extraiu das 176 peças noticiosas recolhidas e que corresponderam a cerca de cinco horas de informação diária. 

Na Antena 1:

  • Registam-se 50 peças com a presença de candidaturas às eleições para o Parlamento Europeu que representam cerca de 11% do tempo total dos noticiários analisados.
  • Todas as peças são editadas, estando ausentes peças de opinião, análise política, entrevista, sátira ou crónica.
  • Só se verifica uma única peça em direto.
  • As peças apresentam quase na totalidade presenças das cinco candidaturas com deputados eleitos para o Parlamento Europeu, em 2014. A candidatura do partido Aliança está presente em cinco peças, sendo sobretudo referida sem voz. O cabeça de lista do PURP surge em discurso direto.
  • Na generalidade dos partidos candidatos, é dada maior visibilidade aos cabeças de lista seguidos dos secretários-gerais dos partidos.
  • Nem sempre as peças contêm conteúdos temáticos que remetam para assuntos europeus. Este facto pode ocorrer por seleção dos órgãos de comunicação social ou por omissão das próprias candidaturas.
  • Verifica-se uma tendência para as peças apresentarem como tema central a avaliação da performance dos partidos/candidatos e competências no exercício de funções governativas. Evidenciam-se também as peças sobre ações de campanha, seguidas das sobre política orçamental, económica e social.

Na TSF:

  • Registam-se 98 peças com a presença de candidaturas às eleições para o Parlamento Europeu que representam cerca de 11% do tempo total dos noticiários analisados.
  • As peças são maioritariamente editadas, complementadas com seis peças de análise política. Estão ausentes peças de opinião, entrevista e de sátira ou crónica.
  • Só se verifica uma única peça em direto.
  • 92% das peças são protagonizadas pelas cinco candidaturas com deputados  eleitos para o Parlamento Europeu, em 2014. 
  • É patente a saliência da cobertura dada aos cabeças de lista. Os secretários-gerais dos partidos candidatos com assento no Parlamento Europeu também se evidenciam na cobertura.
  • Nem sempre as peças contêm conteúdos temáticos que remetam para assuntos europeus. Este facto pode ocorrer por seleção dos órgãos de comunicação social ou por omissão das próprias candidaturas.
  • Um quarto das peças analisadas centra-se nas ações de campanha das candidaturas, sem conteúdos destacados de temas substantivos. Parece haver um enquadramento mais sobre a performance e menos sobre propostas concretas dos partidos.

Na Rádio Renascença:

  • Registam-se 24 peças com a presença de candidaturas às eleições para o Parlamento Europeu que representam cerca de 15% do tempo total dos noticiários analisados.
  • Estas, na generalidade, correspondem a peças editadas de género informativo. Estão ausentes peças de comentário, análise política, entrevistas e de sátira ou crónica.
  • Regista-se a existência de quatro diretos que cobrem ações de campanha dos partidos.
  • Verifica-se a presença dominante das cinco candidaturas com deputados eleitos para o Parlamento Europeu, em 2014. As três candidaturas extra parlamentares apresentam presença residual e surgem tanto em discurso direto, como indireto.
  • É dada maior visibilidade aos cabeças de lista das candidaturas. As candidaturas do PS, CDU e, em menor número do PSD, destacam os seus secretários gerais ou presidente.
  • Nem sempre as peças contêm conteúdos temáticos que remetam para assuntos europeus. Este facto pode ocorrer por seleção dos órgãos de comunicação social ou por omissão das próprias candidaturas.
  • As peças analisadas cobrem sobretudo as ações de campanha das candidaturas, sem conteúdos destacados de temas substantivos.

 Na Rádio Comercial:

  • Registam-se 4 peças com a presença de candidaturas às eleições para o Parlamento Europeu.
  • Estas são peças editadas de género jornalístico notícia. Estão ausentes peças de análise, comentário político, e os géneros de crónica e sátira.
  • Nas peças são referidas seis candidaturas distribuídas por oito presenças: PSD e CDU (duas referências cada), PS, BE, CDS e PDR (com uma presença cada).
  • As ideias dos representantes das candidaturas são transmitidas tanto em discurso direto como indireto, dando-se evidência aos assuntos sobre políticas sociais europeias (em duas peças) e às ações de campanha e resultados de sondagens (também em duas peças).

 

A versão completa do Relatório “Cobertura Jornalística das Eleições Europeias 2019 - Rádio” pode ser consultada aqui.